Senhoras da nossa idade

Um blogue quadrangulado entre Lisboa, Coimbra, Porto e S. Paulo

SENHORAS DA NOSSA IDADE

Deixe um comentário

 

Happy New Year


200702-omag-rum-coke_220x312

Nunca tive grandes expectativas em relação aos festejos da passagem de ano. Lembro-me como se tivesse sido ontem da minha primeira celebração fora de casa, aos 14 anos. Era uma festa grande demais. Houve outras, tantas. Formais demais, imprevisíveis demais, histriónicas demais… Também houve festas calorosas, com boa gente, boa mesa, muitas gargalhadas, muitas caras que recordo sempre com um sorriso.

Raramente me apetece sair, nunca me apetece conduzir. Gosto de passagens de ano intimistas, gosto de cozinhar de improviso e de provar um vinho desconhecido; gosto de aproveitar para fugir uns dias para o campo; gosto de ter crianças por perto. Este ano estava determinada a fazer alguns quilómetros para estar com gente da nossa, mas os vírus do Inverno trocaram-nos as voltas. Tenho pena, mas a alternativa não é menos boa. Nós os três, juntos, na primeira passagem de ano da nossa vida a três. Intimista, com uma massa caseira, um bom vinho (gin tónico para o Gonçalo), sem campo mas com uma criança com um sorriso que vale por mil🙂

Mas a passagem de ano que me salta à memória em primeiro lugar, sempre que evoco o assunto, remonta ao território da minha infância, há muitos e muitos anos atrás. À minha primeira infância, digamos assim. Quando a minha mãe arredava todos os móveis da sala e cobria os candeeiros com lenços coloridos para receber os amigos em festas que envolviam discos dos Abba, calças à boca-de-sino, runs-cola e milhares de cigarros. Qualquer pretexto servia para uma festa lá em casa, nos bons velhos (velhinhos) tempos, mas aquela passagem de ano, em particular, tornou-se memorável graças a um disco dos Abba que eu ouvi até à exaustão (de toda a gente…) pois adorava cantar (com a devida improvisação da letra) e dançar ao som da “música do ano novo”. Aqui fica uma memória feliz da minha infância longínqua, para ouvir na companhia de um rum-cola, que eu dedico a todos quantos povoam as minhas memórias felizes.

E tu, Mariana? Qual é a memória mais feliz que guardas de uma passagem de ano?

Autor: Mariana

"What would you do if you knew you couldn't fail?"

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s