Senhoras da nossa idade

Um blogue quadrangulado entre Lisboa, Coimbra, Porto e S. Paulo

SENHORAS DA NOSSA IDADE

Deixe um comentário

 

Mais, não: melhor.

 

Querida Mariana,

muito falamos sobre o tempo (e não, não me refiro a conversas de elevador sobre o frio ou o calor). A falta de tempo, a gestão – mais ou menos danosa – do tempo, o tempo livre, o tempo de qualidade. Quando comecei a pensar em escrever este post, lembrei-me de uma situação muito caricata. Há uns dois anos, talvez, recebi um livro sobre gestão do tempo como bónus da assinatura de uma revista. Quando o folheei, a primeira coisa que me ocorreu foi: eu nunca vou ter tempo para ler isto! E, de facto, acabei agora de confirmar, lá está ele, arrumadinho na prateleira dos “livros práticos”…

Nota5

Ultimamente nem temos tido tempo para falar uma com a outra. Sei que andas ocupada com caixotes e camiões e arrumações, espero que assim que estejas instalada consigas contar-me como está a correr a mudança de casa. Eu ando atarefada com as entrevistas para o livro sobre os 35 anos da ARCIL, um trabalho extraordinário, cheio de pessoas extraordinárias, que me está a dar um gozo imenso, e com a minha contribuição para a solidificação do projeto Olha-te, outro trabalho extraordinário, cheio de pessoas extraordinárias, uma lição de vida.

Nota4

Depois, são as outras coisas, pequenos projetos, sementinhas lançadas aqui e ali, ideias que espero (eu e os meus companheiros criativos) venham a traduzir-se em algo de concreto durante os próximos meses. Este é o ano de construir. Às vezes fico um bocadinho angustiada com a possibilidade de estar a querer fazer demasiadas coisas ao mesmo tempo. O tempo, o tempo.

Nota1

Nada mais adequado, então, do que abraçar uma nova e muito refrescante tendência no que aos hábitos de trabalho diz respeito: já ouviste falar no livro Rework? Lê, Mariana, não que precises, porque já trabalhas assim, desta maneira prática e desempoeirada que os autores defendem. Tu não precisas, mas nós bem sabemos que há muita gente a precisar – e não, não é só no nosso país…

Nota_10

Apetece transformar o livro inteiro em post-its e colá-los pela casa toda (no nosso caso, que trabalhamos em casa).

Beijinhos, Mariana, boas mudanças!

 

Autor: Mariana

"What would you do if you knew you couldn't fail?"

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s